quinta-feira, 14 de agosto de 2008

HOEGAARDEN (boa como suco de laranja)


Tenho um hábito semanal, geralmente na Sexta-feira (o dia da cerveja?), de comprar as minhas cervejas preferidas para repor o meu cervejário. Nessas ocasiões, geralmente, agrego, à minha compra, sortidas cervejas avulsas para experimentar ou para refrescar a memória... Aproveitando um oportuno preço de R$ 3,60 eu coloquei uma
Hoegaarden no meu carrinho. Diga-se de passagem que sou fã da escola cervejeira belga. Adoro cervejas aromatizadas, frutadas, adocicadas ou azedas. Assim, para mim, sempre cai bem uma Witbier. Ainda não consegui resolver a equação em que a Inbev proporciona cervejas belgas e alemãs aos brasileiros, em vezes, mais baratas do que compradas no país procedente. Esse assunto já me rendeu teorias conspiratórias contra o mercado da cerveja especial no Brasil, em que o tiro teria saído pela culatra ou acertado o próprio pé... Enfim, não sei explicar preços tão baixos. O que eu sei, é que a concorrência – quando justa - é saudável. Na minha opinião devemos aproveitar a carta de cervejas importadas, mas sem deixar de fomentar o mercado local. A harmonia é sempre o melhor caminho...

A Hoegaarden é do tipo Witbier. Conforme consulta aos nossos acadêmicos do
BJCP, esse estilo tem cerca de 400 anos e foi reavivado por Pierre Celis, em Hoegaarden, pequena vila ao norte da Bélgica - ainda que a fábrica que leva o nome da cidadezinha exista desde 1441. A Hoegaarden, naturalmente de alta fermentação, é refermentada na garrafa, maturando por três semanas. O que mais a difere em relação a outras “cervejas brancas” é o uso de especiarias (ingredientes especiais) que são sementes de coriandro e raspas de casca de laranja, que lhe conferem alta refrescância e beberibilidade – característica do estilo. A aparência pode não encantar devido à sua coloração amarelo ouro, porém opaco, típico das cervejas de trigo belgas. O teor alcoólico é de 4,9 APV. Em matéria de zitogastronomia, combina bem com pratos leves como saladas, peixes, frutos do mar, defumados e queijos de consistência semidura, como o gorgonzola. Contrasta com culinária picante.

Quando tu fores degustar a Hoegaarden, eu sugiro que faças uma comparação com uma cerveja de trigo clara, sem especiarias do tipo alemã Weiss ou Weizen, e se possível, com mais a Edelweiss. Inicie o evento com a cerveja de trigo tipo alemã, e finalize com a Edelweiss. Perceberás aromas e paladares distintos e, assim, como eu, elegerás a tua preferida. Os números não mentem. Eu prefiro a Edelweiss, avaliação 8,34; do que a Hoegaarden, avaliação 7,52.

Acho o copo da Hoegaarden, a pesar de muito pesado e espesso, um dos mais clássicos no meio cervejeiro. Se fores degustar essa boa cerveja com alguém especial, pendure uma rodela de laranja no copo e não use perfume para não ofuscar o aroma da cerveja. Se passares das preliminares, descobrirás que é bom sentir o aroma natural dos prazeres!

Um comentário:

wellington luis disse...

Pra mim já foi o contrário, gosto mais da hoegaarden do que da edelweiss, porém são duas belas cervejas. Pra mim a hoegaarden é mais marcante, a laranja dando o toque cítrico e a mistura dela com o coriandro e o trigo dão um aroma espetacular a essa cerva belga, a das ultmias witbier's. Mais a edelweiss também é uma deliciosa weiss.

postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...