domingo, 25 de novembro de 2012

MUSEU DA CERVEJA NA CIDADE DE PEDRA


foto: Bohemia




Quando o assunto é museu com o tema cerveja, as maiores referências são as européias: Heineken Experience, em Amsterdã; Guinness Storehouse, em Dublin; e Carlsberg Museum, em Copenhague. Todos com instalações que o tornam centros de experiência cervejeira em excelência. Com certeza, não são os únicos no mundo.  Precisamente, desde 04 de Maio deste ano, o Brasil faz parte desse rol com a inauguração do “Centro de Experiência Cervejeira, da Bohemia”, construído junto à restauração da - considerada - primeira cervejaria brasileira, a Bohemia, de 1853, em Petrópolis\RJ. Um complexo de milhares de metros quadrados, com investimento de milhões de Reais. Uma parceria da AmBev com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, que apresenta dois momentos, digamos assim: o museu interativo sobre a história da cerveja; e o memorial da secular cervejaria Bohemia.








A nossa impressão sobre o empreendimento é das mais realizadoras. Lúpulos plantados na entrada já prenunciavam o que estava por vir... Diferentemente da quase totalidade das visitas guiadas em cervejarias, onde o mote cervejeiro gira em torno da marca de cerveja visitada, na cervejaria Bohemia, todas as cervejas comerciais, de um modo geral, são representadas. O chamado “Túnel da Saga da Cerveja”, um museu centro de experiência cervejeira, com uso de recursos tecnológicos de ponta (que pode ser compartilhado em tempo real pelas redes sociais), apresenta uma aprofundada pesquisa histórica com a participação ilustrativa de marcas que não fazem parte do portfólio da AmBev e, ainda, concorrentes diretas. Para nós, essa é a maior prova de respeito e valorização à cerveja brasileira, tanto quanto, estrangeira. Uma atitude que, talvez, incline-se ao investimento estatal, entretanto resultante de simpatia à marca AmBev.






A transposição da etapa institucional para a reverência da história local - também nacional - é muito bem articulada pelo interlúdio da “Praça Koblenz”. Um contemplativo espaço aberto que proporciona uma pausa. Seguindo o itinerário da visita, partimos propriamente à cervejaria Bohemia restaurada e, em parte, original. A “Sala do Mestre Cervejeiro de Bohemia” é o memorial da marca. A caminho da “Sala Alquimia”, podemos experimentar insumos cervejeiros e conhecer - aí sim – as instalações fabris seculares, e apaixonantes...













E, claro, como de praxe, a experiência final é a degustativa. Depois de absorver tanta informação cervejeira torna-se inerente o brinde com a resultante do produto final. Saímos da teoria, direto para a prática do consumo de cerveja! Dois brindes são oferecidos, em dois momentos distintos. A instalação restaurada criou uma nova - e micro – cervejaria anexa à original desativada, onde é oferecido, com exclusividade, o chope Bohemia. Em, seguido momento, num espaço próprio para degustação são oferecidos os estilos especiais da linha. O conjunto, ainda, oferece um bar, o “Boteco Bohemia”, e uma loja de souvenires temáticos. Em nossa visita, foi apresentada a obra do restaurante que está por vir. E, para nossa grande surpresa, em primeira mão, fomos os primeiros a degustar a nova cerveja Bohemia Imperial, em homenagem a todo esse investimento.


Sergio Almeida, Ricardo Amorim, Chico Spagnolo, Pedro Pernambuco, Nicholas Bittencourt, Patrick Stephanou e João Amstalden

 

 

BOHEMIA IMPERIAL


foto: Bohemia
Casco com tampa de pressão e, capacidade de 550 ml - já utilizado pelas primeiras Bohemia especiais, assim como a saudosa Red Ale (Royal Ale). O rótulo é impresso gravada no vidro, mas mantém gravata adesiva para o lacre da tampa. O sistema da tampa potencializa um estouro chamativo ao abrir. Muito embora, a amostra degustada tenha apresentado espuma com pequeno volume e pouco persistente. A coloração dourada acobreada/âmbar lembra a da Serramalte. Despertou um aroma sutil de lúpulo, prevalecendo o do malte, que é composto de 90% para 10% de adjunto. É uma Pilsen Extra, com 5,2% APV, que gerou um final amargo e pouco seco. Corpo leve, com média carbonatação. Cerveja que homenageia o contexto histórico. A pesar do apelo promocional de edição limitada, deverá entrar em linha.






Thais Kersten, Ricardo Amorim e Sergio Almeida
A valorização da cerveja no mercado brasileiro de bebidas se dá através de investimentos como esse extraordinário museu idealizado na histórica cervejaria Bohemia da “cidade de pedra”. Fomenta a cultura cervejeira nacional, assim como os grandes eventos do setor, que crescem e se multiplicam a cada ano. A cada dia ficamos mais realizados. Hoje, a caminhada parece menor, e mais parceiros nos acompanham nessa jornada. Viva a cerveja brasileira! Visite o museu!




Um comentário:

João Gabriel Margutti Amstalden disse...

Excelente texto Patrick!

O museu é sensacional mesmo, visita imperdível.

abraços

João Amstalden

Panela de Malte

postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...